segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Capitulo 11 - Answer

Notas Iniciais: 
Podem me amar maaaaaais, sim mais um capitulo e dessa vez não atrasei.
O capitulo está baphônico e eu garanto que iram amar. Essa semana não
terá mais nenhum capitulo, não sei se na semana que vem terá, pois com essas
festas de fim de ano fica dificil, mas prometo que irei me esforçar. 
Então FELIZ NATAL PARA VOCÊS. E não esqueçam de passar
nas notas finais. 
Boa leitura!
__________________________________________________________________


Responda


Oliver’s POV
Assim que Gabriella termina de amamentar, a criança volta a dormir e percebo que Gabriella está quase dormindo também.

- Se quiser dormir, fique a vontade. Eu cuido dela pra você. – Ela me olha e olha para a criança.
- Tem certeza? – Me olha com receio.
- Sim, mas se ela chorar com fome serei obrigado a te acordar, já que... – Encolho os olhos e ela ri.
- Tudo bem, então coloca ela no bercinho pra mim, por favor? – Gabriella me estende o bebê.
- Ai me Deus, eu tenho medo de derruba-la. Não sei pegar criança recém-nascida. – Tento pegar de um jeito um pouco desengonçado enquanto Gabriella ri de mim.

Por fim consigo pegar aquele projeto de gente e a coloco no bercinho móvel que é disponibilizado pelo hospital. Aqui as crianças ficam com as mães no quarto.

Gabriella se ajeita para dormir e fico olhando a pequena. Não sei o que estou sentindo, mas toda vez que olho pra essa criança meu coração se enche de um sentimento desconhecido por mim. 
Meu celular vibra e é uma mensagem do Wesley. Havia mandado mensagem para ele e para Meire falando que Gabriella tinha dado a luz.

“Como assim? Ela está bem? Você está com ela? Está tudo bem com a criança? Eu não posso voltar agora.”

De repente me bate um arrependimento das coisas que aconteceram. Do meu laço de amizade com Wesley que foi quebrado por uma idiotice minha. Quer dizer, em partes foi uma idiotice, percebi que a criança não é filha dele e sim minha, não tem como negar esse rostinho Horster junto com esses cabelos escuros já que Wesley e Gabriella são loiros.  

Respondo que ambas estão bem e em seguida ouço o celular de Gabriella tocar, atendo antes que ela acorde.

- Alô!
- Oliver? Gabriella está bem? Só vi a mensagem agora. – Meire diz desesperada.
- Ela está bem, está descansando agora. – Respondo olhando para ela.
- E a bebê?
- Está bem também, está dormindo. – Olho para a bebê.
- Tudo bem então, mais tarde vou ai para vê-las. Eu sai pra resolver algumas coisas e fiquei presa no trânsito. – Ela diz.
- Ok, avisarei á Gabriella quando ela acordar.

Desligo o celular e volto a olhar para a pequena Skye. Eu preciso conversar com Gabriella a respeito dessa criança. Mesmo que ela se pareça muito comigo, talvez eu esteja enganado, mesmo que algo diga para mim que eu não estou.

Mando mensagem para algumas pessoas da Channel que não param de perguntar por Gabriella e o bebê, digo que está tudo bem. A pequena se mexe no berço e volto a olha-la. Ela começa a querer chorar e fico um pouco desesperado, pois Gabriella não dormiu quase nada e ela precisa descansar. Dar a luz á uma criança não deve ser nada fácil. Morrendo de medo, mas com cuidado a pego no colo e fico balançando ela de leve, ninando como eu fazia com a minha sobrinha quando ela era bebê.  Faz tanto tempo que não pego uma criança no colo, acho que já perdi a prática. Aquela coisinha pequena abre os olhos e meu coração novamente acelera, é impossível não sorrir olhando para ela. Acabou de nascer e já dá pra ver que é bem esperta. Novamente ela fecha os olhos e começa a ficar quietinha e volto a coloca-la no bercinho.

(...)

Uma hora depois a enfermeira entra no quarto com um lanche para Gabriella que ainda dorme, agradeço e decido acordar Gabriella, ela não comeu nada desde que chegou.

- Gabriella... – A chamo, mas ela não se mexe. – Gabriella! – Mexo no braço dela e ela abre os olhos já assustada. – Calma, a enfermeira trouxe seu lanche, é melhor você aproveitar e comer logo enquanto ela dorme.

Ela ainda um pouco confusa por ter acordado assustada, se senta, passando as mãos nos cabelos e eu dou a bandeja para ela.

- Ela não acordou nenhuma vez?
- Acordou, mas a peguei no colo e ela dormiu de novo. – Respondo e ela sorri fraco voltando a comer.

Esse é o momento que eu tenho para perguntar sobre ela, se eu não perguntar não ficarei sossegado.

- Gabriella... – Ela me olha. – Bom, eu preciso fazer essa pergunta ou ficarei louco. Ela é...

Alguém bate na porta e em seguida entra, é Meire com seu namorado.

- Sem escândalo, por favor. – Gabriella diz e Meire ri indo logo ver a Skye.
- Gente, mas que coisinha linda. – Ela faz uma voz engraçada.

Percebo que não conseguirei mais conversar com Gabriella, então aviso que irei até a praça de alimentação comer alguma coisa e saio do quarto.


Gabriella’s POV

Dou graças a Deus ao ver minha amiga entrar no quarto. Eu não quero ter essa conversa com Oliver nem  tão cedo, por mais que eu saiba que isso será inevitável. Meire e James não param da babar na minha filha e eu sorrio toda orgulhosa, realmente ela é muito linda e eu escuto isso de todas as enfermeiras que entram aqui no quarto. Só esse cabelinho escuro dela já chama atenção por ser muito.

- Amiga, ela é a cara do Oliver. – Meire finalmente decide me dar atenção. – Eu estou passada, olha esse cabelo...
- Sim... – Suspiro.
- Como assim a cara do Oliver? – James pergunta confuso e nos olha por um tempo percebendo a resposta na nossa cara. – Porra, ela é filha dele mesmo? E ele sabe disso?
- Não. – Respondo rápido. – Quer dizer, antes ele não sabia, agora está óbvio que ela é filha dele. Nós ainda não conversamos sobre ela, mas ele está estranho comigo e tenho certeza que ele iria me perguntar sobre ela antes de vocês chegarem.
- Ele que te trouxe pra cá? – Minha amiga me pergunta.

Começo a explicar como tudo aconteceu e como Oliver está cuidando de mim e dela. Em seguida outra enfermeira passa no quarto para me dar um medicamento e diz que terei alta amanhã mesmo. Agradeço a Deus, pois ninguém merece ficar presa dentro de um quarto de hospital.

Meu telefone toca e é minha mãe, Meire havia ligado para casa para contar que a Skye nasceu, novamente explico tudo para ela, mas não conto que ela é filha do Oliver e eu tenho certeza que ela e meu pai irão pirar quando a ver.

Oliver volta para o quarto e se senta na poltrona, minha amiga se despede, pois o tempo de visita acabou e vai embora.

- Oliver, você não precisa ficar. Estou bem, terei alta amanhã. Vai pra casa, comer direito, tomar um banho e descansar. – Olho para seu semblante cansado.
- Estou bem e passarei a noite aqui. – Ele responde breve e Skye começa a resmungar. – Parece que alguém acordou pra mamar. – Ele pega ela e me dá.
- Vem cá, minha princesinha. – Sorrio e ajeito ela pra mamar.
- Gabriella, eu preciso te perguntar uma coisa. – Oliver me olha.
- Eu sei o que você vai perguntar, podemos falar sobre isso amanhã quando eu sair do hospital? – Olho para ele que me observa. – Eu estou cansada, não quero discutir, por favor.
- Tudo bem. – Ele volta a se sentar na poltrona e suspiro voltando a olhar para a Skye.

(...)

Durante a noite quando tento dormir, vejo Oliver toda hora olhar par a Skye e dar um pequeno sorriso sempre que ela se mexe.  Eu não sei se isso é bom ou ruim, e eu tenho que começar a pensar nas minhas respostas e nas decisões que irei tomar a partir de amanhã.

Fecho os olhos e suspiro tentando limpar a minha mente e depois de alguns minutos entro em um sonho lindo, onde vejo eu e Skye correndo pelo campo.

xxxxxxxxxxXxxxxxxxx

Mais uma vez ouço Skye chorar e a minha vontade é de chorar junto, mal dormir a noite com ela chorando sentindo cólica ou fome. Oliver me entrega ela  e a coloco no peito. Pego meu celular e abro a câmera frontal, me assusto com a minha aparência. Estou parecendo um zumbi, acho que poderiam me chamar para participar da série The Walking Dead, nem precisaria de maquiagem.  Olho para Oliver e a cara dele também não é das melhores, está com olheiras e a aparência de cansado. Já não usa mais sua camisa toda engomada. Está sem gravata, com os primeiros botões abertos e a camisa para fora da calça.

- Oliver, vai descansar. Você precisa trabalhar amanhã. Na verdade você deveria ter ido hoje. – Olho para ele que passa a mão nos cabelos bagunçando. Amo quando ele faz isso.
- Não iria te deixar aqui.

Rolos os olhos e volto a olhar para a Skye que mama com vontade. Tadinha, minha princesinha estava com fome.  Assim que ela termina de mamar,  sinto ela encher a fralda.

- Eita, mas já? – Olho pra ela.

Me levanto, pego a bolsa dela e a deito na maca, troco a fralda dela enquanto Oliver fica apenas observando ou então dormindo de olhos abertos. Após uns quinze minutos uma das enfermeiras vem buscar ela para dar banho.

- Vou aproveitar e tomar banho também.
- Vai lá! – Oliver fala. – Se precisar de ajuda é só chamar.  – Ele dá um sorrisinho de canto.

Me permito ficar séria, mas não vou negar que adoraria ter ele no banho comigo.

Oliver’s POV

Espero a Gabriella tomar banho e aproveito para tirar um cochilo, estou exausto, não dormi a noite toda cuidando da Skye para que Gabriella pudesse dormir um pouco. 

Quando abro os olhos Gabriella está secando os cabelos me olhando, ela desvia o olhar um pouco tímida e então duas enfermeiras entram no quarto, uma carregando a Skye e a outra com alguns papéis.

- Srta. Portilla, já está de alta. Preciso que assine esses papéis.

Ela assina e assim que as enfermeiras saem do quarto, Gabriella dá graças a Deus e me faz rir. Ela pega seu celular e manda mensagem para Meire avisando que já irá para casa. Ajudo ela a recolher suas coisas e guardar na bolsa.

- Vamos pra casa, meu amor. – Ela pega a Skye no colo.

Pego a bolsa de Gabriella e da Skye que Meire havia trazido ontem e saio com elado hospital. Abro a porta de trás do carro e em seguida sento no meu lugar.

- Nem acredito que estou indo para casa. – Gabriella comenta e sorrio.

 Ao chegarmos em casa, Meire logo pega Skye dos braços da Gabriella.

- Eu fiz café pra vocês viu. – Ela avisa e sobe com a neném.
- Ainda bem, estou morrendo de fome. – Gabriella vai para a cozinha e vou atrás. – Quer café?
- Sim, por favor. – Me sento no balcão.

Gabriella nos serve de café e bolo, comemos tranquilamente enquanto eu penso em como começar a conversa que eu tanto preciso. Assim que terminamos de comer, Gabriella se levanta para colocar a xícara na pia e me levanto também, quando ela se vira dá de cara comigo.

- Acho que agora podemos conversar. -  Falo e ela suspira e se encosta na parede.
- Diz aí. – Ela cruza os braços.

Sei que nesse momento ela está querendo se fazer de durona e superior.

- Bom... a Skye se parece muito comigo e não é só eu que acho isso, todas as enfermeiras que a via falava a mesma coisa. – Espero ela falar alguma coisa, mas não sai nada de sua boca. – Gabriella, a Skye é... – Suspiro. – Minha filha?
- Sim Oliver... Ela é sua filha. – Ela olha para o chão e meu coração acelera. Gabriella volta a me olhar. – Mas você não precisa falar um monte de merda pra mim. Sei que você não quer ter filhos, não quer se casar...
- Gabriella... – Falo.
- Não vou exigir que a assuma, que dê pensão, não exigirei nada de você...
- Gabriella... – Falo novamente.
- Será somente eu e ela assim como foi durante toda a minha gravidez, porque...
- Deixa eu falar. – Falo enquanto ela não para de falar.
- Pode voltar para o seu mundo de putaria que eu e a Skye...


Seguro o rosto dela e selo nossos lábios em um beijo calmo, mas com muito desejo. Ela fica imóvel, apenas abre espaço para que minha língua invada sua boca e acaricia sua língua com paixão e ternura.  

_____________________________________________________________
Notas Finais:
GENTEEEEEE QUANTA COISA ACONTECENDO. OLIVER DESOBRIU
QUE É PAI, OLIVER BEIJOU A GABRIELLA. E AGORA? O QUE VOCÊS
ACHAM QUE IRÁ ACONTECER? Já que ficarei um tempinho sem postar 
se quiserem me acompanhar tenho um grupo de fanfics no whatsapp e um grupo
de fãs de TVD. Quem quiser me chama no twitter @jobrosthewanted e não
esqueça de me acompanhar pelo youtube. Clique aqui.
Beijos

Comente com o Facebook:

2 comentários: