terça-feira, 3 de maio de 2016

Capitulo 47 – I have no breath left to speak

Notas Iniciais: 
Me perdoem pela demora meus amores, mas acredito que irão gostar
do capitulo, pois está quenteeee! 
Boa leitura!
____________________________________________________________


Eu não tenho mais fôlego para falar.


Gabriella’s POV

Nos sentamos em sofás separados, Eu e Oliver em um, Rachel e Wesley em outro. Fico apenas observando e bebendo meu vinho enquanto os três conversam sobre trabalho.  Pelo que pude entender, Wesley também é empresário, é dono de uma rede de agência de carros esportivos e a Rachel eu pensava que trabalhava como prostituta pela cara e pelo jeito oferecida dela, mas ela é advogada.

- Quando vocês vão para a França mesmo? – Wesley olha para mim.
- Na sexta-feira. – Respondo.
- Oliver me contou que agora você é a nova modelo da Channel. – Rachel mexe o vinho de sua taça. – Deu bastante sorte.
- Ela é talentosa. – Oliver me olha e sorri. Retribuo seu sorriso e bebo mais um pouco do meu vinho.
- E ainda será acompanhada por Oliver Horster, mais sorte ainda. – Ela sorri de canto olhando para Oliver. Odeio esses olhares que ela dá pra ele.
- Sim. – Respondo breve e coloco minha mão em cima da coxa de Oliver.

Rachel segue com o olhar o movimento da minha mão e em seguida me olha dando seu sorrisinho debochado.  Wesley começa a falar sobre quando conheceu a França e Oliver também fala de suas experiências por lá. Falam sobre o clube de swing que conheceram e isso me deixa curiosa – embora eu não tenha gostado de quando Oliver me apresentou – Relembram quando os dois juntos comeram uma tal de Florence.

- Ela é muito gostosa, espero reencontra-la qualquer dia. – Wesley sorri malicioso.
- Ela é muito escandalosa, não gosto de mulher que grita o tempo todo ao invés de gemer. – Oliver bebe seu vinho.
- Mas ela faz um boquete espetacular. Me lembro perfeitamente eu socando meu pau na garganta dela enquanto você comia por trás. – Ele bebe seu vinho.
- Nós dois formamos uma bela dupla. Ela teve tantos orgasmos que ficou com as pernas tremulas, mal conseguia ficar de pé. – Oliver ri e Wesley o acompanha.

Fico imaginando a cena que eles descrevem e confesso que isso me deixa um pouco excitada.

- Esse papo está me deixando com um puta tesão. – Rachel diz e então passa a beijar o pescoço de Wesley que sorri virando seu rosto para ela e tomando-a em um beijo lento e erótico que confesso ter me deixado na vontade e com inveja.

Suspiro e bebo um pouco do meu vinho para tentar disfarçar como minha boca está seca necessitando de um beijo, mas não de Wesley, e sim de Oliver.  Quando volto a olhar o casal, Wesley já está descendo a alça da blusa de Rachel enquanto ela acaricia o pau dele por cima do jeans e eu fico surpresa. Olho para Oliver e ele assiste a cena sorrindo de canto como se fosse à coisa mais natural do mundo. Bom, pra ele é. Volto a olhar pra eles e Wesley já abaixou toda a blusa dela e está sugando seus mamilos e ela já abriu a calça dele, abaixou a cueca e o masturba. Arregalo os olhos e olho para Oliver.

- Eles vão mesmo transar na nossa frente?
- Sim, não tem problema algum, Sweetchild. – Ele sorri para mim.
- Mas... Oliver...
- Relaxe e assista comigo. – Ele sussurra no meu ouvido e coloca a mão na minha coxa.

Rachel se levanta, se livra da calça que usa, da blusa que estava na cintura e então se ajoelha entre as pernas de Wesley terminando de descer o jeans e a cueca dele, enquanto ele se livra de sua camisa. Olho para a ereção dele, duro, grande, grosso e rosado. Rachel começa a passar a língua na glande e chupar a mesma enquanto Wesley sorri malicioso segurando os cabelos dela.

Começo sentir um aperto no meu ventre e um calor começar a possuir meu corpo, bebo o ultimo gole de vinho que há na taça. Estou morrendo de vergonha presenciando essa cena, desvio o olhar, mas sempre minha curiosidade e excitação falam mais alto e me obrigam a assistir atentamente o que eles fazem.  Wesley segura firme a cabeça de Rachel e começa a estocar na boca dela, hora enfiando todo seu pau até a garganta dela e se mantendo ali por um tempo. Oliver acaricia minha coxa e faz movimentos circulares na minha pele me deixando ainda mais excitada.

- Você me deixa louco com essa boca gulosa. – Wesley diz para Rachel.
- Oliver, eu... Eu não estou à vontade. – Sussurro pra ele.
- Mas está excitada, posso sentir. – Ele me olha bem próximo com seus enormes olhos azuis. – Só relaxa, Sweetchild. – Ele morde meu pescoço. – Se quiser podemos nos juntar á eles.

Continuo a olhar ambos, agora Wesley segura Rachel pelos braços a levantando e fazendo-a deitar no sofá com suas pernas abertas. Ele se põe entre elas e então passa a lambê-la e meu ventre se contrai de uma forma que me faz apertar as pernas uma na outra.

- Sua calcinha deve estar encharcada. – Oliver continua sussurrando. – O que acha de nos juntarmos á eles?
- Não... – Falo com um pouco de dificuldade.
- E se formos só nós dois aqui nesse sofá? – Ele sobe a mão por baixo da minha saia e consegue chegar até a minha calcinha. – Meu Deus, Gabriella. Está pingando de tesão. Eu preciso te chupar.
Sua confissão me deixa ainda mais louca e eu acredito que posso gozar somente com suas palavras. A sensação de ter Oliver entre minhas pernas é surreal, mas não, eu não posso aceitar uma coisa dessa.
- Não Oliver... - Tiro a mão dele do meio das minhas pernas.

Wesley continua a chupando com vontade enquanto Rachel geme e morde os lábios. Meu Deus, eu estou realmente muito excitada assistindo isso. Wesley agora começa a me olhar enquanto continua a chupar Rachel e isso faz meu calor aumentar. É como se ele estivesse me dando um recado e meu corpo está entendendo.  

- Vai ficar só olhando? Não vai participar, Oliver?- Rachel olha para Oliver e eu o encaro.

Oliver me olha, sorri de canto e acaricia minha bochecha.

- Hoje eu prefiro assistir vocês.

Sua resposta me dá certo alivio e o movimento que Wesley faz se levantando me chama atenção. Volto a olhar para eles e agora Rachel está se pondo de quatro só que no chão da sala, em cima do tapete felpudo e Wesley fica atrás dela, dá uma tapa estalada na bunda de Rachel que a faz gemer e sorrir maliciosa. Mordo o lábio me lembrando das tapas que Oliver me dá, doem, mas são bons, são excitantes.

- Me fode gostoso, vai. Mete esse pau enorme no meu cuzinho e me fode. – Ela diz manhosa.
- É o que eu mais quero. Comer esse rabo gostoso. – Wesley começa a lubrificar ela com sua saliva.

Ele enrola os cabelos dela em sua mão enquanto posiciona seu pau na entrada dela e então a puxa pelo cabelo fazendo assim ela ser penetrada de uma forma brusca que a fez gemer alto.  Wesley começa a estocar firme enquanto a segura pelo cabelo e a outra mão firme na cintura dela.

- Isso tudo é tensão sexual? – Oliver sussurra no meu ouvido.

O olho e então ele olha para seu braço onde cravo minhas unhas.

- Desculpa. – Sorrio sem graça.
- Não precisa se desculpar, mas sabe que posso resolver isso. – Me olha com seu olhar malicioso.
- Eu não vou transar na frente deles. – Respondo e ele dá de ombros.
- É uma pena então, pois só vou te foder quando eles acabarem. – Ele volta a assistir os amigos trepando iguais selvagens.
- E se eu não quiser?
- Duvido que não vá querer. Está quase trepando com o sofá. – Ele ri pelo nariz e fico vermelha.

Eu nem estou me dando conta de que estou me esfregando contra o sofá, que estou suando, que estou apertando uma perna na outra, enquanto ele está com um olho na transa alheia e o outro em mim.
Sinto minha boca muito seca, Oliver parece ler meu pensamento.

- Vou pegar mais vinho para nós. – Ele se levanta me deixando sozinha com esses dois animais no sio.
- Queria muito fazer isso com você, loirinha. – Wesley me olha e eu engulo seco. – Garanto que você não iria se arrepender.
Apenas suspiro e permaneço quieta enquanto ouço os gemidos de Rachel.
- Isso, não para Wesley. Vai rápido, me fode gostoso.

Oliver volta com suas taças e me entrega uma, viro o cálice na boca bebendo a metade do liquido e Oliver arqueia as sobrancelhas.

- Vai devagar, Sweetchild.
- Você me faz assistir um filme pornô ao vivo e ainda me pede pra ter calma? – Olho pra ele e ele sorri.
- Suas definições para foda me fazem rir. – Ele ri pelo nariz. – Quando vai começar a encarar o sexo como algo normal?
- Eu encaro como algo normal para mim, não normal para você. – Rolo os olhos.
- Hum... estava sentindo falta de te dar uns tapas. Estava se comportando muito bem esses dias. – Ele segura meu queixo e me encara de perto.
- Vai me bater porque revirei os olhos? – Sorrio de canto para provoca-lo.
- Adoraria. Principalmente se fosse você de quatro e pelada na minha frente. –Ele aproxima seu rosto, roça seus lábios em meu pescoço e então desliza sua língua molhada na minha pele me fazendo arrepiar por inteira e soltar um gemido baixo.

Abro olhos e me deparo com seus maravilhosos olhos que amo, muito próximo aos meus, mas desperto assim que ouço gemidos mais altos dos dois que fodem no sofá ao lado. Quando olho pra eles, Wesley ainda está fodendo freneticamente Rachel por trás enquanto ele está com seu rosto vermelho e estimula seu clitóris com rapidez.  Sem demora Rachel contrai o corpo e começa a gozar e Wesley também se liberta gozando. Quando ele tira seu pênis de dentro dela, seu liquido escorre e ele sorri satisfeito enquanto Rachel ainda tenta se recuperar do orgasmo.

- Sua vez agora, loirinha bunduda? – Wesley sorri malicioso pra mim e eu arregalo os olhos fazendo ele rir.
- Não. – Respondo e volto a beber meu vinho.
- Aposto que está toda molhada. Oliver me contou o quanto você é bem receptiva. Se excita fácil. – Ele passa a mão pelo corpo enquanto caminha pelado despreocupadamente pela sala indo até a cozinha.
- Confesso que até eu fiquei com vontade de te provar. – Rachel se senta e eu arregalo os olhos com o que acabou de falar.
- E-eu sou hetero. – Gaguejo e ela sorri.
- Não me importa. Adoro chupar uma buceta. – Ela morde o lábio e eu desvio o olhar enquanto Oliver a come com os olhos. - Vem cá, Oliver. Sei que está morrendo de vontade de me chupar. – Ela separa ainda mais as pernas o convidando e ele sorri de canto.

Sinto uma movimentação no sofá e olho pra Oliver, ele se levanta  indo até a Rachel e manda ela abrir as pernas. A vadia sem nem pensar se abre toda e Oliver se ajoelha, se posiciona entre as pernas dela e começa a chupa-la fazendo assim ela gemer e eu apertar mais ainda as pernas uma na outra.
 Eu estou com raiva, não estou gostando do que ele está fazendo, mas confesso que é excitante. É excitante porque eu sei como é gostoso o oral que Oliver faz, eu sei a magia de sua língua e seus lábios.

Para não cometer nenhum tipo de besteira, me levanto e vou para a cozinha aproveitando para pegar mais gelo. Assim que pego a forma de gelo no freezer e me viro para ir até minha taça em cima da mesa e trombo com Wesley que está atrás de mim me olhando, e antes que eu me desequilibre ele me segura firme passando seu braço envolta da minha cintura.

- Não sabia que te deixo sem equilíbrio. – Ele sorri de canto e eu suspiro o olhando e sentindo seu pênis encostando na minha perna.
- Eu... não sabia que estava atrás de mim.
- Eu sei que não. – Ele me encosta contra a geladeira e meu sangue ferve. – Está tremula. Está com medo? – Ele aproxima seu rosto do meu.
- Nã...não. Eu não. – Novamente entrego meu nervosismo nas palavras.
- Que bom. – Ele roça seu nariz no meu pescoço. – Gosto do seu cheiro. Depois do sexo seu cheiro deve ser ainda melhor.
- Wesley... – Fecho meus olhos e espalmo minha mão livre em seu peito.
- Para de ser complicada e deixa eu e Oliver te comer. – Ele morde minha orelha. – Eu sou louco pra te foder.

Ele começa a beijar minha bochecha e vem chegando cada vez mais perto da minha boca.

- Oliver não te beija, não é? – Ele diz sussurrando contra minha bochecha.- Mas eu a beijaria, beijaria seus lábios e cada centímetro do seu corpo. – Ele roça seus lábios nos meus e eu o empurro indo para a pia da cozinha. Ele vem em minha direção, mas Oliver aparece na cozinha
.
Suspiro e me viro de frente para a pia tentando tirar os cubos de gelo de dentro da forma.

- Tudo bem por aqui? – Ouço Oliver perguntar.
- Sim, estava ajudando Gabriella a pegar gelo. – Wesley responde e Oliver se aproxima de mim.
- Por que está tremendo?
- Eu? – O olho rapidamente, enquanto ainda tento tirar o gelo da forma e Oliver a toma da minha mão.
- Você está com as mãos tremulas. Aconteceu alguma coisa? – Ele me encara firme e eu o olho.
- Não... – Suspiro e me lembro da cena dele no meio das pernas daquela puta. – Só não gostei de assistir você chupando aquela...
- Puta? – Rachel aparece na porta da cozinha. – Nem ligo que me chamem por esse apelido carinhoso, já estou acostumada. – Ele pisca.
- Rachel... – Oliver a olha sério e então ela sai terminando de vestir sua blusa.
- Gabriella, você sabe...
- Eu sei, Oliver.  – Me afasto dele. – Não precisa ficar me falando a mesma coisa mil vezes. Só não chegue com esse boca perto de mim. – O repreendo com o olhar e saio da cozinha.

Encontro Wesley e Rachel já vestidos se olhando no espelho que há na sala.

- Vamos indo Oliver, ainda vamos dar uma passada no P&D. – Wesley disse quando Oliver volta para a sala.
- Tudo bem. – Wesley bate em seu ombro e me olha dando uma piscadinha.
- Tchau meu gostoso. – Rachel o abraça dando um beijo em seu pescoço. – Obrigada pelo orgasmo. – Ela ri e me olha. – Tchau barbiezinha.

Rolo os olhos cruzando os braços e eles caminham até a porta saindo pela mesma. Oliver me olha e eu fecho a cara.

- Quero ir embora.

Ele sabe que não adianta teimar comigo, pega a chave de seu carro e então descemos para a garagem.



___________________________________________________________
Notas Finais: 
O que deu no Wesley, gente? :O                                                                                                                                                                           

Comente com o Facebook:

2 comentários: